outubro 20, 2008

UTILIDADE PÚBLICA: CORRENTES DE E-MAIL E MSN

Quem me conhece, sabe que sou um ferrenho combatente dessa infestação de correntes de sorte, novos vírus, mensagens catastróficas, crianças desaparecidas, brindes maravilhosos, denúncia de teorias da conspiração de mega-empresas e falsas manifestações de solidariedade e humanismo.
Geralmente, as correntes são repletas de boas intenções, mas só lotam nossas caixas de entrada e tomam nosso tempo. Para que essa prática diminua, vou apresentar os 5 tipos básicos de correntes (retirado do site http://www.geocities.com/jubapensador)

TIPO 1: Faça um pedido...
Isso... Agora, para que o pedido aconteça, envie para 425.987 pessoas.

TIPO 2: Tem um garoto faminto em Baklaliviatatlaglooshen que não tem braços, pernas, não tem pais e não tem bodes. A vida deste menino pode ser salva, porque cada vez que você mandar essa mensagem, um dólar será doado para o Fundo Baklaliviatatlaglooshenense Para Garotos Pernetas, Manetas, Órfãos e sem Bodes.

TIPO 3: Olá! Esta corrente existe desde 1897. Na Irlanda, as cartas que não eram reenviadas traziam azar e morte. Então, para não correr esse risco, envie a 15.067 pessoas nos próximos 7 minutos ou alguma coisa horripilante acontecerá com você, como aconteceu com essas pessoas: (Dezenas de depoimentos)

TIPO 4: Este é um poema que eu fiz. Mande para todos os seus amigos e coisas incríveis acontecerão.

TIPO 5: Este e-mail é super-legal! Ele começou pela Microsoft para testar seu programa de rastreamento de e-mail, porque, você sabe, uma empresa grande como a Microsoft sempre manda seus programas novos e importantes para todos os idiotas que sabem operar um computador, certo? E além do mais, ele fizeram uma parceria secreta com a Disney, que concordou em perder milhões de dólares para dar para todo mundo que ler este e-mail, passar adiante, olhá-lo, conhecer alguém que tenha lido, ser parente de alguém que seja amigo de alguém que o leu, UMA VIAGEM TOTALMENTE GRÁTIS para a DisneyLand, DisneyWorld ou EuroDisney

Em defesa das pessoas que acreditam na boa intenção das mensagens, sugiro que ANTES DE ENVIAR QUALQUER CORRENTE, pesquisem a veracidade da mensagem. O fato de a própria mensagem afirmar que é verídica não vale, viu...
POR FAVOR... Na dúvida, não repassem!!!

outubro 11, 2008

Jornalismo sério e comprometido

Jornalista Salete Lemos


video


Esse tipo de comentário só podia aparecer na TV Cultura. A fala incisiva e direta, onde os nomes das empresas são ditos abertamente, é raridade na mídia brasileira.

Infelizmente, não existe jornalismo livre e isento em emissoras privadas. Nessas grandes emissoras existem dezenas de profissionais igualmente sérios e comprometidos, mas seus discursos são panfletários e generalizados. Não são dados "nomes aos bois" e a população menos esclarecida distancia os discursos da sua realidade.